anuncio

anuncio

anuncio

anuncio

anuncio

anuncio
MATÉRIAS
Sem Cristiano Ronaldo, Portugal vence França na prorrogação e conquista a Eurocopa pela primeira vez

11/07/2016 - 07hs00 | Esporte

Portugal Campeão

Aos 23 minutos do primeiro tempo, quando Cristiano Ronaldo saiu de maca do campo, após uma pancada no joelho (que aconteceu aos 7 minutos, mas o craque tentou jogar por algum tempo, mesmo mancando), certamente os portugueses pensaram que diante da França jogando em casa, Portugal repetiria o vice de 2004. O espetáculo parecia comprometido sem uma das maiores estrelas do futebol mundial em campo. A seleção lusitana perdera sua grande referência e maior talento. Mas o futebol é um esporte de equipe, decidido nos detalhes. É o que o torna apaixonante e foi o que fez da final da Eurocopa uma decisão de resultado histórico.


A França foi melhor no primeiro tempo. Começou o jogo pressionando e deu trabalho a Rui Patrício, que se destacou no gol português. Aos 16 minutos, CR7 caiu sem condições de jogo. Insistiu 9 minutos, mas estava dificil para craque do Real Madrid que saiu aplaudido pelas duas torcidas. Persistente, ainda voltou para mais três minutos, no entanto, deixou o campo de vez de maca na metade do primeiro tempo. Quaresma entrou em seu lugar. A França insistia e levava mais perigo no jogo, como aos 33, com Sissoko que dribrou, girou e mandou uma bomba para Rui Patrício. Portugal até arriscou no fim da primeira etapa, mas o placar não saiu do 0 a 0 em Saint-Denis.


No segundo tempo, Portugal se fechou no campo de defesa. Sem se expor ao ataque, que ja tinha o sério problema da ausência de CR7, os lusitanos preferiram garantir que a França teria muita dificuldade em chegar ao gol. Portugal marcava forte, mas não tinha condições de ser ofensivo. A França a todo momento arriscava. Aos 20, teve ótima chance com Griezmann, após cruzamento de Pogba, mas a cabeçada saiu pela linha de fundo. Portugal era todo defesa e apesar da maior posse de bola, não conseguia chutar a gol - não tinha sequer quem recebesse na área. Aos 27, Griezmann cobrou escanteio, Evra tentou, mas a zaga de Portugal evitou outra boa chance de gol francês. Aos 27, Rui Patrício segurou com categoria um chute forte de Giroud. Portugal só levou perigo aos 34, após rebote de Lloris em cruzamento de Nani, Quaresma quase abriu o placar. Nani voltaria a assustar dois minutos depois, mas mandou por cima do gol. A França seguia ao ataque até que aos 46, teve a bola do jogo: Gignac driblou Pepe e mandou na trave, o que seria o gol do título da França.


Na prorrogação, os primeiros quinze minutos foram equilibrados, mas Portugal havia evoluído. Aos 13 minutos, o Lloris salvou os donos da casa quando Éder aproveitou um escanteio e cabeceou para o chão. Aos 2 minutos do segundo tempo extra, um lance que quase mudou a história do jogo: Éder tocou na bola com a mão, mas o árbitro viu toque de Koscielny. A falta a favor da França virou falta contra a França. Pior: Raphael Guerreiro cobrou, a bola bateu no travessão e foi para o chão. Mas não entrou.


Um minuto depois, Éder mandou de fora da área e Portugal a abriu o placar. Emoção de um lado e assombro do outro. Cristiano Ronaldo se emocionou no banco, enquanto a torcida francesa ficada calada e incrédula. Portugal se manteve no ataque, enquanto a França tentava empatar e levar para os pênaltis. Aos 14, Umtiti evitou que João Mário ampliasse. Aos 16, a última chance da França, com Martial mandou a bola em cima do marcador, mas o lance estava impedido. Fim de jogo, Portugal 1 a 0 sobre a França.


No mesmo estádio em que a França conquistou a Copa de 1998 sobre o Brasil, os anfitriões sentiram o amargo gosto do vice campeonato da Eurocopa. Griezmann saiu como artilheiro da competição, mas o caneco e a história pertencem a Portugal. Campeão da Eurocopa pela primeira vez, cala a França e dá a Cristiano Ronaldo uma honra que Messi ainda não teve: ser campeão pela seleção de seu país. Como o futebol nem sempre é justo, apesar da França ter ido melhor na partida foram os portugueses que chegaram ao gol. A campanha lusitana também não foi excepcional. Em terceiro na primeira fase sem vencer nenhuma partida, Portugal foi campeão com 6 empates em 7 jogos, considerando os 90 minutos no mata-mata. Só venceu o País de Gales no tempo normal, na semifinal. Mesmo assim, é o campeão da Eurocopa e não ha como apagar o feito histórico do primeiro título intenacional da seleção de Portugal. Sem CR7 em campo, mostrou que mais do que depender do astro, é um time. E um time campeão.

Giro do Esporte - 2016        Home | Matérias | Campinas | Agenda | Brasileirão | Resultados | Memória | Contato        Proprietária: Érica Tito / Web Designer: Rafael da Silva Polato